“Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3.13-14)

Lendo esse texto, entendo que para Paulo, “prosseguir para o alvo” era um de seus maiores lemas, uma questão de sobrevivência. O passado era uma espécie de trampolim, uma oportunidade de amadurecimento e de um mergulho mais profundo no conhecimento e dependência de Deus.

Paulo parece não se fiar nem mesmo nas “boas experiências” que havia tido com Deus no passado. Prosseguir era necessário. Ele diz no verso 12 que prossegue para conquistar aquilo para o que também foi conquistado por Jesus. Ou seja, Jesus nos conquistou para que cresçamos no conhecimento e na semelhança dele. Portanto, ele é o nosso propósito de vida.

Se depositarmos este propósito sobre outras coisas desta vida, certamente nos frustraremos. Se depositarmos nosso propósito e expectativas sobre pessoas, colocaremos sobre elas um peso que serão incapazes de suportar e também nos frustraremos. Que o passado não nos prenda e nem nos defina. Que Jesus seja nosso propósito e identidade. Pois ele faz tudo novo todos os dias.

Que o Espírito Santo nos ensine!

Nívea Soares.

Extraído do site Lagoinha.com (http://www.lagoinha.com/ibl-colunista/prossiga/)